Dando Nota

Rodrigo Alves

‘Janelas do Tempo’ traz a Piracicaba do passado e do presente

As mudanças da paisagem urbana de Piracicaba ao longo das décadas, por aqueles que sempre a observaram de vários ângulos. Uma leitura poética, também nostálgica e contemporânea, para celebrar os 250 anos da cidade. Essa é a exposição “Janelas do Tempo”, que será aberta nesta segunda-feira (31), às 19h, no auditório da Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba), com obras de 16 fotógrafos profissionais. De caráter itinerante, a mostra é uma realização da Câmara de Vereadores de Piracicaba em parceria com a entidade. As visitas seguem até 4 de agosto.

O nome da exposição não é por acaso. Cada visitante encontrará janelas fechadas, que mostram a Piracicaba do passado. Uma vez abertas, elas revelam a releitura da mesma paisagem. Na parte interna de cada uma das folhas das janelas estão uma imagem escolhida pelos próprios fotógrafos, de tema livre, uma foto de perfil e, além de seus currículos, breves textos sobre o retrato do passado, a partir de pesquisas do Departamento de Documentação e Arquivo da Câmara.

A concepção da mostra é dos repórteres fotográficos Davi Negri e Fabrice Desmonts, servidores efetivos do Departamento de Comunicação da Câmara de Vereadores de Piracicaba. Ao todo, são 46 obras expostas, divididas em 14 sobre o passado e 14 atuais, mais as 14 imagens livres. Além de Negri e Desmonts, participam Alessandro Maschio, Amanda Vieira, Antonio Trivelin, Bolly Vieira, Christiano Diehl, Claudio Coradini, Del Rodrigues, Justino Lucente, Marcelo Germano, Mateus Medeiros, Paulo Alcides Tibério (Pauléo) e Paulo Ricardo dos Santos. Cada janela tem 40 por 50 centímetros.

Outras duas fotografias prestam homenagem a personagens queridos entre os profissionais e também da população piracicabana: Henrique Spavieri, falecido em 2014 aos 66 anos, e Diógenes Banzatto, que morreu aos 45 anos, em 2000. A imagem de Spavieri é o antigo Hotel Central, feita em 1975, e a de Banzatto traz o Estádio Roberto Gomes Pedrosa, em meados da década de 80, então localizado na rua Governador Pedro de Toledo, esquina com a rua Regente Feijó, onde funcionou até há pouco tempo um hipermercado. Nos dois casos, não há nas janelas a leitura atual do local fotografado, mas a mesma foto em negativo, como forma de simbolizar a ausência dos amigos de trabalho.

Na opinião de Davi Negri, a abertura será um momento festivo: para os profissionais, a ocasião de reencontrar os amigos; e, para o público, a oportunidade de conhecer aqueles que permanecem quase sempre escondidos nos bastidores. “Foi difícil reunir tantos nomes, mas todos aceitaram o convite com muita empolgação, o que será facilmente notado na qualidade final da exposição”, diz Negri, ao recordar que a última vez em que isso ocorreu foi em 2011, com a mostra “Amandy – Um Retrato das Enchentes”.

Para Fabrice Desmonts, os fotógrafos conseguem transformar o cotidiano em poesia e, muito mais do que disso, contribuem para a preservação da história e da memória. “A rotina de um fotógrafo profissional é sempre agitada. Ainda assim, ele jamais irá ignorar a paisagem que o cerca, seja num intervalo entre uma pauta e outra, ou até mesmo nas folgas”, diz ele, ao lembrar que Piracicaba sempre foi uma cidade com nomes fortes na área, boa parte com atuação na imprensa.

As imagens antigas que receberam releitura são de autores desconhecidos e retratam o bairro Monte Alegre, a Ponte do Mirante, a rua do Porto, a avenida Raposo Tavares, a Casa do Povoador, a Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte, a praça José Bonifácio, a Catedral de Santo Antônio, a Estação da Paulista, o Matadouro Municipal, o salto do rio Piracicaba, a ponte de ferro de Ártemis e a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP).

A proposta de incluir a Acipi na parceria para a exposição surgiu quando os fotógrafos da Câmara foram convidados a participar da comissão julgadora do concurso fotográfico “250 anos: Piracicaba através das lentes”, promovido pela entidade e que também será aberto na data. “Janelas do Tempo” será uma paralela da exposição dos trabalhos vencedores do concurso.

O intuito de Negri e Desmonts, com a colaboração do Departamento de Documentação e Arquivo, é levar a exposição ao hall do prédio anexo da Câmara, na rua do Rosário, 833, no Centro. O período ainda está sendo definido. Depois disso, o objetivo é conversar com outras instituições do município, incluindo escolas, para recepcionar o material. “É a nossa singela homenagem à cidade, que representa o desejo em estar presente num momento tão especial, como os 250 anos de Piracicaba. Nossa intenção de estar também nas escolas é para que os estudantes conheçam parte da história da cidade”, ressalta Negri.

SERVIÇO – Exposição “Janelas do Tempo”. Abertura na segunda-feira, 31 de julho, às 19h, na Acipi (rua do Rosário, 700, no Centro). Visitas até 4 de agosto, das 8h às 18h, de segunda-feira a sexta-feira. Entrada gratuita. Informações: (19) 3417-1766 e 3403-6550.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 30 de julho de 2017 por em Opinião.

Tradutor

Receba notificações de posts por e-mail.

Follow Dando Nota on WordPress.com

Instagram

#piracicaba250anos #piracicaba250anos #PiraParade #Piracicaba250anos Festa na roça #piracicaba250anos Jornalista sendo jornalista até no bar! Eu pagando de tímido e sendo flagrado no Leblon Janelas do Tempo, exposição aberta hoje na Acipi, promovida pela Câmara de Vereadores de Piracicaba, para comemorar os 250 anos da cidade. #piracicaba250anos Como é bom ser criança! Lorenzo empolgado com a coleção de minions!
%d blogueiros gostam disto: