Dando Nota

Rodrigo Alves

Desperte a cachorra que existe em você

sarah-sheeva

Publicado no Jornal de Piracicaba em 31 de março de 2017
Caderno Cultura – Página 2

Mulheres, o mês de março já acabou. As senhoras podem voltar ao fogão. Corram! A pia de louça é grande. Não se esqueçam das fraldas. Deixem a mesa a postos. O maridinho encerra o expediente às 18h.

O Liniker pode até ter causado frisson, contrapondo Chico Buarque. Não devemos jogar pedra na Geni! E quando a Geni joga pedra em si mesma, como fica?

É o que fez a apresentatriz Antonia Fontenelle, em seu canal no YouTube, ao declarar que não “comeria” uma mulher bêbada na balada. Entrevistado, o ator Caio Castro a chamou de machista. Ela rebateu: “mulher tem papel diferente de homem”.

Vem outra: Sarah Sheeva, há 10 anos sem sexo, anunciou um curso para que as mulheres deixem de ser cachorras. Oi? Eu li direito? Quem é mesmo essa pessoa na fila do pão? Ah… cantora e pastora, pseudo-celebridade, filha de Baby do Brasil e Pepeu Gomes.

Um funkizinho estourou no réveillon e persistiu no Carnaval, de um tal MC G-15. Diz assim: “que vontade de ter, garota… eu gosto de você, fazer o quê? Meu pau te ama, é…”. Versão clean ganhou as paradas das rádios. Pau mudou para pai. E o verso “vontade de fuder” foi substituído por “que vontade de ter”.

Março mal acabou e o discurso machista continua “nas graças” da audiência. Por que será?

Qual o problema de a mulher beber na balada ou ficar caída no sofá? Responde aí, Antonia? A senhora que tem um nome comum a tantas mulheres, afugentadas em suas rotinas domésticas e reféns de um mercado de trabalho que as remunera de forma inferior.

Sabe aquela coisa de que o 8 de março fica apenas na data? Então, tenho refletido sobre. Começa com mulheres que sequer lembram do seu dia e com outras que se calam diante das atrocidades diárias.

Não existe mulher machista, mas existem mulheres que ainda perpetuam o pensamento machista. Uma delas é Antonia Fontenelle. Outra é Sarah Sheeva. Outras tantas querem suas filhas na Escola de Princesas.

Mulheres: despertem as cachorras, se assim quiserem. Bebam na balada. Escolhem seus parceiros. Fiquem sozinhas. Abandonem as fraldas. Deixem os fogões. Sem maridinho e sem submissão.

Liberdade, igualdade e respeito com as vontades e desejos individuais. Pode ser pastora também, como escolheu Sarah Sheeva. Mas não dá para usar a suposta fama para disseminar preconceitos.

Uma vez por ano um homem apanha flores, a cada cinco minutos uma mulher apanha. Cai bem a frase, disseminada nas redes sociais pelo movimento 8M Brasil, que pregou neste 8 de março a greve internacional de mulheres.

Pisa ligeiro, pisa ligeiro. Quem não pode com a formiga, não atiça o formigueiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 31 de março de 2017 por em Opinião.

Tradutor

Receba notificações de posts por e-mail.

Follow Dando Nota on WordPress.com

Instagram

#piracicaba250anos #PiraParade #Piracicaba250anos Festa na roça #piracicaba250anos Jornalista sendo jornalista até no bar! Eu pagando de tímido e sendo flagrado no Leblon Janelas do Tempo, exposição aberta hoje na Acipi, promovida pela Câmara de Vereadores de Piracicaba, para comemorar os 250 anos da cidade. #piracicaba250anos Como é bom ser criança! Lorenzo empolgado com a coleção de minions! Aquecendo com a #MinhaOSP
%d blogueiros gostam disto: