Dando Nota

Rodrigo Alves

Lar das Crianças Peculiares

Brasília - Alunos ocupam Colégio de Samambaia em ato contra a reforma do ensino médio, a escola tem 1,7 mil alunos e a aula foi cancelada (Wilson Dias/Agência Brasil)

Brasília – Alunos ocupam Colégio de Samambaia em ato contra a reforma do ensino médio, a escola tem 1,7 mil alunos e a aula foi cancelada (Wilson Dias/Agência Brasil)

Publicado no Jornal de Piracicaba em 4 de novembro de 2016
Caderno Cultura – Página 2

Tomo emprestado o título do longa-metragem de Tim Burton para me referir aos estudantes que ocupam suas escolas. Na obra de ficção em cartaz nos cinemas, o adolescente Jake desbrava um lugar mágico, rodeado de mistério e perigo. Conhece pessoas peculiares. Na vida real, peculiares são os jovens brasileiros. Em suas primeiras experiências de militância, abrem mão do conforto de seus lares para escrever a história do país.

Anarquistas, partidários doutrinados e comunistas! Bando de ilícitos e baderneiros a serviço da esquerda! Ou desbravadores e protagonistas dos próprios sonhos? O sangue está nas mãos de quem? Não sabem eles que a educação, na terra das Palmeiras, é um privilégio das elites?

Tentam calar suas vozes com a PEC-241/55 e aniquilar a educação por 20 anos. Tentam atribuir aos seus movimentos a morte a facadas de um estudante. Tentam culpá-los por problemas na aplicação do Enem. Tentam lhes tirar as artes, a sociologia e a filosofia. Tentam lhes impor a Medida Provisória 746, como se vivêssemos no Brasil do AI-5. Tentam lhes intimidar com o corte de água e energia e o isolamento físico para que desocupem as escolas.

Os jovens de hoje, peculiares no vestir e no pensar, são digitais, diante de professores analógicos e de uma escola caindo aos pedaços. São tagarelas, cansados dos diretores doutrinadores. São sedentos e estão exaustos de disciplinas que cerceiam suas criatividades. Estão estafados, perplexos de promessas políticas superficiais.

Peculiares, esses jovens são criminalizados pela mídia hegemônica, farta da cobertura protocolar e distorcida. Eles já não conhecem a palmatória, mas sentem as dores dos cassetetes. Estes jovens não querem ficar sentados, em silêncio, batendo continência. Não se interessam pelas apostilas, decoreba ou fórmulas.

Qual a peculiaridade desses jovens? Eles sonham com lousa digital, tablets e camisas Polo Ralph Lauren como uniforme? Sonham com uma Escola de Princesas? Não! Eles querem o básico! Querem decidir sobre suas vidas e seus futuros, sendo consultados sobre a reforma que os afeta diretamente.

Estes jovens peculiares querem educação de qualidade, de estímulo. Escola que os leve à compreensão do mundo, à tolerância ao próximo e à amizade entre todas as nações e grupos. Seria pedir muito? Isso é o que preconizou em 1948 a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Mas, em terra de cego quem tem olho é rei. Logo, impor a tortura física, autorizada pela Justiça, é realmente plausível no Brasil, ex-Pátria Educadora, país da Ordem e do Progresso, da Escola sem Partido, de Bolsonaros e Felicianos. Pois é na educação que reside a esperança de formação de mentes democráticas e isso não interessa a um governo ilegítimo.

Evocar Paulo Freire pode fazer sentido neste momento. Eu fico com o politicamente incorreto Raulzito. Que o verso de Prelúdio seja apenas mais um estímulo a estes jovens peculiares: “Sonho que se sonha só/ é só um sonho que se sonha só/ Mas sonho que se sonha junto é realidade”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 3 de novembro de 2016 por em Opinião e marcado , .

Tradutor

Receba notificações de posts por e-mail.

Follow Dando Nota on WordPress.com

Instagram

#PiraParade #Piracicaba250anos Festa na roça #piracicaba250anos Jornalista sendo jornalista até no bar! Eu pagando de tímido e sendo flagrado no Leblon Janelas do Tempo, exposição aberta hoje na Acipi, promovida pela Câmara de Vereadores de Piracicaba, para comemorar os 250 anos da cidade. #piracicaba250anos Como é bom ser criança! Lorenzo empolgado com a coleção de minions! Aquecendo com a #MinhaOSP A Arte em Bronze, exposição que será aberta nesta sexta-feira, 7, na Pinacoteca Miguel Dutra, às 20h, reúne obras de 34 artistas do Brasil e do exterior. Visitas até 29/7, de segunda a sexta, das 8h às 17h. Entrada gratuita. #Piracicaba250anos
%d blogueiros gostam disto: