Dando Nota

Rodrigo Alves

Pina_

Pina

Publicado no Jornal de Piracicaba em 29 de janeiro de 2016
Caderno Cultura – Página 2

Você chega ao restaurante e pede um refri. Na diversão com os amigos, posta uma foto no Insta e acessa o Face no smartphone. Se busca um bairro badalado em Sampa, segue para a Vila Madá. E confere uma boa exposição de arte na Pina_ (assim mesmo, com o underline ao final).

Anunciada na data em que a capital paulista completou 462 anos, a simplificação do nome da Pinacoteca do Estado de São Paulo divide opiniões do público, linguistas, designers e publicitários. A instituição teria entrado na modinha do “internetês” e, na pior das hipóteses, plagiou a identidade visual da cidade de Porto, em Portugal.

A Pinacoteca se esforça para explicar. Diz que amigos a gente chama por apelido, que a abreviação busca uma comunicação mais ágil e reflete o desejo de aproximação com o público. Os responsáveis pela reformulação evocam o The Metropolitan Museum of Art de Nova York (chamado de Met) e o Tate Gallery, no Reino Unido, conhecido como Tate.

Deixo a discussão sobre branding aos especialistas. Do ponto de vista de espectador, ainda que acredite numa evolução natural da linguagem, Pina_ remete ao comercial do Itaú (o “digitau_”), concebido para ser bem-humorado e que soou de extremo mau gosto, alvo de processo no Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária).

Na Folha de S. Paulo, um dos diretores do museu, Paulo Vicelli, disse que a palavra Pinacoteca pode soar complexa e que muitos não sabem o seu significado. Ou ele está de zoeira ou é extremamente “BFF” dos jovens e da internet. Uma instituição cultural que se preze tem, entre os deveres, o de educar. Comece ensinando a definição, em vez de simplificar.

Se a expressão surgiu nas redes sociais, de forma carinhosa, não quer dizer que a instituição é obrigada a oficializar a mudança. O Parque do Ibirapuera, por exemplo, tornou-se Ibira? OK, vamos simplificar também os nomes dos artistas que compõem o acervo: Almeida Júnior de Almeidinha, Pedro Alexandrino de Pedrinho, Tarsila do Amaral de “caipirinha” e Cândido Portinari de Candinho. E Estação da Luz de “luzinha”. Tudo muito carinhoso, fofinho, amiguinho, meiguinho, infantilzinho.

A intenção é aproximar? Coloquem o Núcleo de Ação Educativa para trabalhar e não publicitários de uma agência. Pensem em ações sociais e inclusivas para marcar os 110 anos do local, com potencial de atrair multidões: quem não se lembra das esculturas hiperrealistas de Ron Mueck, com média de quatro mil pessoas por dia? Muitos dos que encararam as filas quilométricas conheceram parte do acervo e descobriram a Pinacoteca.

Se a Prefeitura de Curitiba utiliza “Prefs”, a Pinacoteca também pode ser Pina_, argumentam os adeptos da linguagem ultradescolada. Discordo. O termo adotado pela capital paranaense se restringe às contas no Facebook e Twitter, e não a outras comunicações do órgão, como o site oficial e a logomarca. O caso da Prefeitura de Curitiba é único, pioneiro, e todos querem copiá-la. Sua gestão de redes sociais aproxima as pessoas de assuntos políticos, sem abrir mão da prestação de serviço e de temas relevantes, muitas vezes tratados com humor.

Antes de aplicar a mudança, a Pinacoteca do Estado de São Paulo deveria consultar o dicionário, que traz definições muito distintas entre as palavras pinacoteca e pina. A primeira significa museu de obras de pintura ou coleção de obras de pintura, e pina, por sua vez, corresponde a cada uma das partes curvas que formam a periferia da roda de um veículo.

A minha sugestão é que a instituição aproveite a polêmica para trocar o underline do Pina por um til na letra N. Teríamos uma verdadeira Piña, ou abacaxi em espanhol, palavra que cai muito bem para este caso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 29 de janeiro de 2016 por em Opinião e marcado , , , .

Tradutor

Receba notificações de posts por e-mail.

Follow Dando Nota on WordPress.com

Instagram

#piracicaba250anos #PiraParade #Piracicaba250anos Festa na roça #piracicaba250anos Jornalista sendo jornalista até no bar! Eu pagando de tímido e sendo flagrado no Leblon Janelas do Tempo, exposição aberta hoje na Acipi, promovida pela Câmara de Vereadores de Piracicaba, para comemorar os 250 anos da cidade. #piracicaba250anos Como é bom ser criança! Lorenzo empolgado com a coleção de minions! Aquecendo com a #MinhaOSP
%d blogueiros gostam disto: