Dando Nota

Rodrigo Alves

Lorenzo

lorenzo-01

Publicado no Jornal de Piracicaba em 27 de novembro de 2015
Caderno Cultura – Página 2

Era uma sexta-feira feira de nuvens e sol tímido, entre rápidas tempestades. Ele chegou ao mundo na data programada, pesando 3,670 quilos. Às 16h25 dava seu primeiro choro. Exatos 27 minutos depois, sorria nas redes sociais. Ao seu lado estavam o pai, Paulo Vitor, de 19 anos, autor da selfie, e a mãe, Cláudia, também de 19, admirando fixamente seus olhos azuis. Esse retrato emoldurado compôs o nascimento de Lorenzo.

Meu primeiro afilhado do sexo masculino veio 15 anos após a Maria Eduarda, sua tia, de quem também sou padrinho. Pouco acredito em numerologia ou mapa astral, mas pressinto sua garra para encarar as adversidades: estreou numa data simbólica, o Dia da Consciência Negra, sob um signo forte, escorpião, com ascendente em touro e a lua em peixes. Nasceu entre likes e coraçõezinhos.

Logo que descobriram o sexo, os pais foram precoces na escolha do nome. Lorenzo, do espanhol e do italiano Lourenço, do latim Laurentius ou natural da cidade de Laurento. Lorenzo que inspirou um filme lindo, O Óleo de Lorenzo, de 1992, sobre uma criança e a luta de seus pais, criadores de uma fórmula mágica a partir de oliva e colza.

Paulo Vitor e Cláudia também foram rápidos na escolha dos padrinhos, membros da própria família: eu e Ana Claudia, minha irmã, que recebemos o comunicado de uma forma bastante inusitada, pelas redes sociais. O pai, se sentindo muito feliz, nos marcou num post, redigiu belas palavras sobre a expectativa em ver o seu príncipe cheio de saúde para brincar, correr e sorrir pela casa. De quebra, encerrou com a pergunta: “E aí, aceitam o convite?”

Como estava no trânsito, só li a postagem duas horas mais tarde. Várias pessoas já haviam comentado a escolha antes do próprio padrinho. O casal estava ansioso com a minha demora. Admirado, feliz e, principalmente, surpreso, dei a resposta positiva, também num comentário via Facebook. Carreguei nos emotions, alternativa para justificar o atraso.

A selfie de nascimento de Lorenzo correu rapidamente o WhatsApp, encaminhado pela avó coruja, Ivanilda, minha tia materna. E no mesmo dia vieram muitas outras imagens na mesma rede, além do Instagram e Facebook. Teve até o clube dos ansiosos, como a minha irmã, que saiu rapidamente de Campinas e foi até a maternidade garantir o clique com a criança no colo.

Conheci Lorenzo pessoalmente três dias após o seu nascimento, numa noite de domingo. Antes de mim chegaram os tios, primos, avós, bisavós e amigos do casal. Todos garantiram várias selfies ao lado do garoto. Eu ensaiei algumas fotos. O garotinho dormiu insistentemente, mesmo com várias tentativas de acordá-lo e ainda que estivesse no meu colo. Justo comigo, sempre adepto das novas tecnologias, não rolou.

Lorenzo me pregou a primeira peraltice, pressentindo que o padrinho, mesmo tecnológico, curtiu as fitas VHS e os jogos Atari, assistiu desenhos animados na TV de tubo, curtiu muitas músicas no walkman e curtiu algumas músicas até no antigo vinil.

Sei que nossa foto ainda vai rolar, mesmo que atrasada, como foi o meu “sim” aos seus pais para apadrinha-lo. Enquanto isso não acontece, encontrei na prosa a maneira de desejar as boas-vindas ao primeiro membro da família nascido iluminado por flashes e telas de cristal líquido, entre filtros do Instagram, sob a égide das redes sociais e aplicativos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 27 de novembro de 2015 por em Opinião.

Tradutor

Receba notificações de posts por e-mail.

Follow Dando Nota on WordPress.com

Instagram

#PiraParade #Piracicaba250anos Festa na roça #piracicaba250anos Jornalista sendo jornalista até no bar! Eu pagando de tímido e sendo flagrado no Leblon Janelas do Tempo, exposição aberta hoje na Acipi, promovida pela Câmara de Vereadores de Piracicaba, para comemorar os 250 anos da cidade. #piracicaba250anos Como é bom ser criança! Lorenzo empolgado com a coleção de minions! Aquecendo com a #MinhaOSP A Arte em Bronze, exposição que será aberta nesta sexta-feira, 7, na Pinacoteca Miguel Dutra, às 20h, reúne obras de 34 artistas do Brasil e do exterior. Visitas até 29/7, de segunda a sexta, das 8h às 17h. Entrada gratuita. #Piracicaba250anos
%d blogueiros gostam disto: