Dando Nota

Rodrigo Alves

Arte pela caixa postal

Casa 3 Projeto Postal

Publicado no Jornal de Piracicaba em 25 de setembro de 2015
Caderno Cultura – Página 2

Tenho o péssimo hábito de abrir diariamente a caixa postal — a física, não a virtual. Tudo o que chega naquele cubículo tem data certa: no dia oito é o boleto do aluguel, no dia 10 é o condomínio e em mais cinco dias tem a energia elétrica, o gás, a fatura da TV a cabo, do plano de saúde, do celular. Funciona como uma cápsula a descapitalizar a conta bancária. As cartas feitas à mão deixaram, há tempos, de serem emitidas por amigos, parentes ou conhecidos. Mas um grupo da cidade subverteu esta lógica. E utiliza os Correios para difundir a arte.

A carta estava num envelope simples, com meu endereço escrito numa letra bonita. No começo achei estranho. Seria engano? Que nada, era para mim! Quatro nomes constavam no verso, como remetentes: Alzira Ballestero, Liliana Menegali, Renata Ghirotto e Zelinda Jordão, integrantes do Ateliê Casa 3, com sede aqui em Piracicaba, e que tem levado suas produções artísticas para pessoas desavisadas, como eu, com o intuito de quebrar um pouco dessa rotina que valoriza mais o contato virtual e se esquece de coisas simples.

Como repórter do Jornal de Piracicaba produzi uma reportagem sobre a arte postal. Isso faz tempo, 2007, 2008, 2009, a memória me engana. Então radicada na cidade, a artista Nirdosh Vibhuti, do ateliê O Mascate, se definia como “arte postalista” e tornou-se adepta desse estilo conhecido também como mail art, criado para trocar mensagens criativas. Em Nova York, quando estive no MoMa (Museu de Arte Moderna) em 2013, havia um andar inteiro dedicado à arte postal e suas diferentes formas pelo mundo. Mas aqui, em Piracicaba, bem perto de mim, os dois únicos casos que conheço são estes.

De forma despretensiosa, o quarteto de artistas demonstra a preocupação com o intercâmbio de suas produções e a de tornarem conhecidas suas mais recentes pesquisas, cada uma a seu estilo. Ainda que seja uma arte limitada ao formato 10 por 15 centímetros, as artistas se aproveitam de um produto de comunicação que muitos classificam como “ultrapassado”, que só serve para nos avisar das “notícias ruins”, para mostrar que a correspondência de papel ainda pode levar mensagens positivas. E, ao mesmo tempo, utilizam os Correios para incentivar a pesquisa, a experimentação e a produção de outros artistas, também alvos da empreitada.

Pesquisando na internet sobre a arte postal, encontro a constatação de que os e-mails e as redes sociais provocaram o esquecimento sobre essa modalidade, muito difundida quando era preciso protestar ou denunciar e nos momentos em que a censura falava mais alto. Essas mesmas tecnologias nos distanciaram da vontade em construir narrativas, de contar histórias a quem passamos distante e consideramos amigos. As velhas cartas possuem um valor sentimental muito maior que qualquer e-mail, texto de WhatsApp ou mensagem bem elaborada no Facebook. É assim a arte postal nos tempos virtuais, uma tentativa de aproximação.

É claro que as artistas utilizam as novas tecnologias como suas aliadas. O ateliê tem blog e uma página no Facebook, onde postam os trabalhos enviados aos amigos e artistas mundo afora (sim, elas não querem ficar restritas a Piracicaba, e os Correios também permitem isso). Numa rápida visita a estes meios de divulgação, encontro um elogio da Argentina, por exemplo, e numa conversa com Renata Ghirotto, pelo Messenger, descubro que perto de 500 trabalhos já foram postados. Elas pensavam em encerrar o projeto em dezembro, mas o retorno tem sido positivo, e devem ir além. Que assim seja. E que a arte continue a invadir nossas caixas de correspondência.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 25 de setembro de 2015 por em Piracicaba e marcado , .

Tradutor

Receba notificações de posts por e-mail.

Follow Dando Nota on WordPress.com

Instagram

#PiraParade #Piracicaba250anos Festa na roça #piracicaba250anos Jornalista sendo jornalista até no bar! Eu pagando de tímido e sendo flagrado no Leblon Janelas do Tempo, exposição aberta hoje na Acipi, promovida pela Câmara de Vereadores de Piracicaba, para comemorar os 250 anos da cidade. #piracicaba250anos Como é bom ser criança! Lorenzo empolgado com a coleção de minions! Aquecendo com a #MinhaOSP A Arte em Bronze, exposição que será aberta nesta sexta-feira, 7, na Pinacoteca Miguel Dutra, às 20h, reúne obras de 34 artistas do Brasil e do exterior. Visitas até 29/7, de segunda a sexta, das 8h às 17h. Entrada gratuita. #Piracicaba250anos
%d blogueiros gostam disto: