Dando Nota

Rodrigo Alves

Reverências ao mestre Spavieri

Este slideshow necessita de JavaScript.

Publicado no Jornal de Piracicaba em 12 de setembro de 2014
Página 2 do Caderno Cultura

Era mais uma matéria de cultura naquele segundo semestre de 2008. Mas o gesto do entrevistado moldaram o meu olhar sobre Henrique Spavieri. A partir dali, o repórter com pouco mais de três anos de trajetória compreendia a importância do veterano profissional da fotografia e do jornalismo.

Ivan Moretti, fotógrafo da Unimep, organizava uma exposição no Centro Cultural Martha Watts. Depois de 10 ou 15 minutos de entrevista sobre o seu trabalho, ele mudou de postura. Chegava ao ambiente o velho Henrique, também escalado para a pauta. De forma abrupta, Moretti interrompeu o diálogo com a saudação: “quanta honra!”. Na sequência, fez reverência, ficou de joelhos, e completou: “seja bem-vindo, mestre!”

Moretti conseguiu definir, em poucas palavras, o que todos os colegas de profissão pensam sobre Spavieri, um grande mestre que vivia pelo e para o jornalismo. Há muitas memórias dos privilegiados com a sua convivência. Era unanimidade entre repórteres e fotógrafos.

Numa tarde típica de Verão seguíamos para endereços diferentes, mas dividíamos o mesmo automóvel. Henrique parou num restaurante para fotografar os pratos para o caderno de gastronomia. Quando retornou, levamos um susto, o motorista e eu. Trazia o objeto fotografado em mãos — deliciosos sanduíches. “Eu vim para alegrar a tarde de vocês, cambada!”, disse, com a sua característica risada. Seguimos para o próximo endereço entre muitas risadas.

Em outra ocasião, as palavras de Spavieri serviram de lição. Um tanto estressado, desabafei sobre o pouco tempo para fechar um caderno especial. “Você não faz ideia de como era antigamente”, disse. Ele rememorou a carreira na clicheria de O Diário e a entrada no JP, em 1974, a convite do repórter policial Nelson Barreiros, o Tuca. Naquele tempo, lembrou ele, as fotos precisavam ser reveladas em Campinas, até que o jornal montou um estúdio sob a sua supervisão.

Também conheci uma história inusitada de Henrique sobre o processo artesanal do jornal no passado. Na primeira visita do papa João Paulo 2 ao Brasil, na década de 80, não havia recursos tecnológicos para fazer a cobertura em Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e outras capitais percorridas pelo pontífice. Com muita paciência, todos os dias, Spavieri posicionava o tripé em frente à TV para produzir as fotografias, a partir do que transmitiam os telejornais. Detalhe é que as imagens ganhavam a primeira página do jornal.

Trabalhar com Spavieri era garantia de risadas e descontração. Chegava sempre para quebrar o silêncio e a agitada rotina. Descrevia com paciência, aos novatos como eu, a revolução da impressão offset, que acompanhou de perto. Não se gabava por ter feito de tudo na carreira, porque aquilo era a sua vida. Gostava de estar nos jogos do XV de Novembro, de conhecer pessoas e vivenciar histórias e, claro, da cobertura noturna com a Meg Tumang, a quem definia como parceira na cobertura social na inauguração do Teatro Santo Estevão e até da Santa Ceia. Erasmo Spadotto, na caricatura publicada na primeira página de ontem, foi feliz ao dizer que, agora, Spavieri fará apenas foto área.

Fotógrafo das antigas, com valores totalmente diferentes dos atuais, Spavieri era mestre em vários sentidos, pela humildade, dedicação e profissionalismo. Tinha paciência para ensinar. Foi professor e contribuiu com uma geração inteira de fotógrafos e jornalistas. Listo alguns profissionais (Bolly Vieira, Alessandro Maschio, Mateus Medeiros e Marcelo Germano), que sempre o trataram como um pai e recebiam dele lições diárias. Neste momento de dor com sua morte, Spavi ou vovô Spavieri merece nossas reverências pela contribuição na história da imprensa em Piracicaba.

2 comentários em “Reverências ao mestre Spavieri

  1. Rodrigo Alves
    12 de setembro de 2014

    Obrigado, Dani. Saudades de vc!

    Curtir

  2. Linha na Pipa
    12 de setembro de 2014

    Eu gostei muito. Um grande beijo.

    Atenciosamente/ Best regards.

    Daniele RicciKoppert do Brasil Piracicaba/ SP (19) 9.9735.8500Skype: dani.jori http://www.koppert.com.br

    Date: Fri, 12 Sep 2014 11:32:37 +0000 To: dani.ricci@hotmail.com

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 12 de setembro de 2014 por em Opinião e marcado , , , , .

Tradutor

Receba notificações de posts por e-mail.

Follow Dando Nota on WordPress.com

Instagram

#PiraParade #Piracicaba250anos Festa na roça #piracicaba250anos Jornalista sendo jornalista até no bar! Eu pagando de tímido e sendo flagrado no Leblon Janelas do Tempo, exposição aberta hoje na Acipi, promovida pela Câmara de Vereadores de Piracicaba, para comemorar os 250 anos da cidade. #piracicaba250anos Como é bom ser criança! Lorenzo empolgado com a coleção de minions! Aquecendo com a #MinhaOSP A Arte em Bronze, exposição que será aberta nesta sexta-feira, 7, na Pinacoteca Miguel Dutra, às 20h, reúne obras de 34 artistas do Brasil e do exterior. Visitas até 29/7, de segunda a sexta, das 8h às 17h. Entrada gratuita. #Piracicaba250anos
%d blogueiros gostam disto: