Dando Nota

Rodrigo Alves

Feimep inicia programação no domingo com tenor Jean William

Jean Willian - credito Fernando Mucci

Jean Willian – foto: Fernando Mucci

Por Marcela Delphino

O Festival Internacional de Música Erudita de Piracicaba (Feimep) começa neste domingo (21) em grande estilo. O concerto de estreia da quarta edição conta com o tenor Jean William, revelação nacional do canto lírico. O pupilo do maestro João Carlos Martins se apresenta às 18h no Teatro Municipal Erotídes de Campos, o Teatro do Engenho, palco de todas as atrações, que seguem até o dia 28 com entrada gratuita.

Bach, Handel, Mozart, Schumann, Schubert e Rossini compõem o programa do tenor, acompanhado de Wesley Barreto (piano), Vèronique Mathieu e Pedro Gobeth (violinos), Fabio Schio (viola) e André Micheletti (violoncelo), coordenador artístico e pedagógico do festival. Aos 27 anos, Jean é o único brasileiro que se apresenta em duas ocasiões para o papa Francisco na Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro.

De segunda-feira (22) até o sábado (27), os concertos acontecem sempre às 20h, a começar pela Orquestra Sinfônica de Piracicaba, sob regência de Micheletti. A Valsa da Morte, de Benecase, inicia o repertório da orquestra de 92 anos, que segue com Bottesini, Godinho, Bach, Rizzi e Grieg.

Na terça-feira (23), o violinista Ricardo Herz sobe ao palco com Michi Ruzitschka (violão) e Pedro Ito (bateria). O instrumentista criou um estilo próprio, do erudito ao forró, da improvisação do jazz e do choro à MPB. No repertório estão composições próprias e de outros artistas.

Os professores do festival se apresentam na quarta (24) e na quinta-feira (25). Nos dois dias, o público se delicia com a virtuosidade de músicos reconhecidos no Brasil e no exterior, que trazem obras de Mozart, Rossini, Schubert, Brahms, Bach e Mendelssohn.

A Orquestra Sinfônica de Americana é a atração de sexta-feira (26), com regência do finlandês Ville Mankkinen. Formada por 32 instrumentistas, ela se dedica à formação de público com a difusão da música em várias tendências e estéticas, o que compactua com os objetivos do festival.

DEMOCRATIZAÇÃO – A luta pela popularização da música erudita é uma constante na vida do coordenador André Micheletti, que atua como professor da Escola Municipal de São Paulo, coordenador pedagógico do Instituto Fukuda e professor no Instituto Baccarelli, em Heliópolis.

“O Feimep permite que jovens músicos tenham contato com profissionais do porte de Mathias Tacke, ganhador de quatro Grammys de música erudita”, comenta André. “As masterclasses são abertas a todos os alunos. Esta é a forma mais democrática de se fazer um festival”, diz o coordenador, ao lembrar que os alunos e professores realizam quatro concertos sociais em hospitais e entidades assistenciais. Os locais, datas e horários serão definidos e divulgados na próxima semana.

No sábado (27), o Feimep apresenta seus alunos e os da Associação Amigos da Orquestra Filarmônica Infanto-Juvenil (Amorfipi), com regência de Winfried Mitterer. Parceria da Secretaria Municipal da Ação Cultural (Semac) com a Amorfipi permitiu a participação de 40 crianças na programação pedagógica. Além de Mitterer, sãos professores colaboradores Nathaly de Los Ángeles Luna Campoverde (violino) e Cecilia Patricia Vaca Merino (violoncelo), ambos do Equador.

O 4º Feimep termina no domingo (28) com a Orquestra Acadêmica do Festival, sob regência do maestro Ernst Mahle, fundador da tradicional escola de música em Piracicaba que leva seu nome. No programa, Carimbó, do próprio Mahle, e obras de Handel, Tchaikovsky e Mendelssohn.

O FESTIVAL – Democratizar o acesso à música clássica é um dos pilares do Feimep, que possui também uma programação pedagógica. Os 130 alunos inscritos frequentam aulas de violino, viola, violoncelo, contrabaixo e piano com 10 professores do Brasil e do exterior, vindos da Alemanha, Canadá, Estados Unidos, Armênia, Coréia e Moscou.

“O Feimep já nasceu forte e desde o primeiro ano conquistou a simpatia dos piracicabanos, tornando-se referência em nosso país. Que abram-se as cortinas para mais uma edição que certamente será inesquecível”, diz a secretária da Ação Cultural, Rosângela Camolese.

As aulas de violino estão aos cuidados dos piracicabanos Cláudio Micheletti e Rosnei Tuon, do alemão Mathias Tacke e da canadense Vèronique Mathieu. As lições de viola ficam com o americano Rudolf Haken, enquanto as masterclasses de violoncelo são divididas entre a armênia Lilit Kurdiyan, a coreana Minna Rose Chung e o brasileiro Watson Clis. O paulistano Sérgio de Oliveira ministra aulas de contrabaixo e a russa Anna Khanina conduz os ensinamentos ao piano.

Patrocinado pela Elring Klinger e Colégio Piracicabano, o Feimep é realizado pela Prefeitura de Piracicaba, por meio da Semac; Jornal de Piracicaba, Revista Arraso e Associação Amigos de Mahle. São apoiadores a Associação de Cultura Artística de Piracicaba (Acap), Secretaria Municipal de Educação, Escola de Música de Piracicaba Maestro Ernst Mahle (Empem), Ensino Médio Integral Escola Estadual Sud Mennucci, Conserv Engenharia e Simespi.

SERVIÇO – 4º Feimep, de 21 a 28 de julho, no Teatro Erotídes de Campos (Parque do Engenho Central). Entrada gratuita. Informações: (19) 3413-8526, www.facebook.com/IVFeimep ou http://www.feimep.com.br.

21 de julho | domingo | 18h
Concerto com o tenor Jean William

22 de julho | segunda-feira | 20h
Orquestra Sinfônica de Piracicaba
Regência: André Micheletti 

23 de julho | terça-feira | 20h
Ricardo Herz Trio

24 de julho | quarta-feira | 20h
Concerto dos professores do Festival

25 de julho | quinta-feira | 20h
Concerto dos professores do Festival

26 de julho | sexta-feira | 20h
Orquestra Sinfônica de Americana
Regente convidado: Ville Mankkinen (Finlândia)

27 de julho | sábado | 20h
Apresentação dos alunos da Amorfipi
Regência: Winfried Mitterer

Concerto dos alunos do Festival

28 de julho | domingo | 11h
Orquestra Acadêmica do Festival
Regência: Ernst Mahle

2 comentários em “Feimep inicia programação no domingo com tenor Jean William

  1. Rodrigo Alves
    20 de julho de 2013

    Márcia, você leu o restante do texto? Obviamente isso fica evidenciado nos demais parágrafos. E também não entendo em qual momento ser pupilo de alguém como João Carlos Martins seja demérito.

    Curtir

  2. marciafer55
    20 de julho de 2013

    Todo agradecimento ao Maestro J.C. Martins. No entanto, Chamar Jean William de “pupilo do maestro” é no mínimo deselegante. Jean William tem se destacado por sua seriedade e talento, aliados a muito trabalho e dedicação.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Tradutor

Receba notificações de posts por e-mail.

Follow Dando Nota on WordPress.com

Instagram

#piracicaba250anos #PiraParade #Piracicaba250anos Festa na roça #piracicaba250anos Jornalista sendo jornalista até no bar! Eu pagando de tímido e sendo flagrado no Leblon Janelas do Tempo, exposição aberta hoje na Acipi, promovida pela Câmara de Vereadores de Piracicaba, para comemorar os 250 anos da cidade. #piracicaba250anos Como é bom ser criança! Lorenzo empolgado com a coleção de minions! Aquecendo com a #MinhaOSP
%d blogueiros gostam disto: