Dando Nota

Rodrigo Alves

Teatro do Engenho terá Thiago Rozineli como diretor

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Teatro Erotides de Campos, menina dos olhos da Semac (Secretaria Municipal da Ação Cultural) e com inauguração prevista ainda para o primeiro semestre de 2012, já possui um diretor. O escolhido pela secretária Rosângela Camolese é Thiago Rozineli.

O barbarense de 31 anos está na coordenação da Empem (Escola de Música de Piracicaba Maestro Ernst Mahle) desde março de 2010 e irá acumular os dois cargos. Rozineli é graduado em pedagogia e mestre em filosofia da educação e tecnologia, ambos pela Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba). Na mesma instituição, é aluno especial do programa de doutorando em gestão educacional.

A secretária Rosângela Camolese, via assessoria de imprensa, declarou que Rozineli “é uma pessoa bastante capacitada, uma excelente opção para o cargo”. Ela acrescentou que ele “tem experiência, tanto na administração de um importante espaço artístico cultural – por conta de sua atuação na Empem – como na promoção de eventos de uma forma geral.

Anunciado em dezembro de 2009, o Teatro vai funcionar no Armazém 6 do Engenho Central, com capacidade para 442 lugares e projeto acústico assinado por José Augusto Nepomuceno, responsável pela acústica da Sala São Paulo.

As obras tiveram início em 22 de fevereiro de 2010, pela Proeng Construtora, projeto da Escritório Brasil Arquitetura e investimentos mistos (iniciativas pública e privada). O valor anunciado inicialmente foi de R$ 6,813 milhões.

Além da sala de espetáculos, a casa terá restaurante, bar, cozinha industrial, camarins, banheiros, hall, sala de atividades multiuso, que pode tanto servir como espaço de ensaios, como para a hospedagem de escolas de música, artes cênicas, danças e outras modalidades artísticas.

Já abordei a importância da nova casa do espetáculos aqui neste blog em outros momentos, mas volto a lembrar que o Teatro do Engenho é geograficamente mais democrático.

Não que a avenida Independência (sede do Teatro Losso Netto) seja inacessível aos piracicabanos, mas à beira-rio estão, além dos moradores daqui, os turistas, os aposentados, as crianças, os empresários, as domésticas.

Com esta característica, um novo teatro irá exigir maior responsabilidade da Secretaria da Ação Cultural para elaborar uma programação acessível a todas as culturas e todos os bolsos.

Ao novo diretor, desejo sucesso e determinação. Quem conhece o Thiago sabe que desde o início ele chegou à cidade para fazer a diferença!

+ do mesmo
Programação especial de inauguração do novo Teatro do Engenho

 Teatro Erotídes de Campos será inaugurado no dia 27
Um novo teatro para Piracicaba

10 comentários em “Teatro do Engenho terá Thiago Rozineli como diretor

  1. Pingback: Teatro Erotídes de Campos será inaugurado no dia 27 « Dando Nota

  2. Pingback: Programação especial de inauguração do ‘Teatro do Engenho’ « Dando Nota

  3. MARCOS LEMOS
    15 de fevereiro de 2012

    Parabéns! à todos por toda essa iniciativa desde a concepção do projeto à escolha do diretor, todas a pessoas envolvidas inclusive neste blog, sonham com uma cidade totalmente aberta a cultura, ao estudar um pouco da arquitetura cênica dos teatros me preparando para o concurso de maquinista me deparei com a preocupação de vários autores em relação a discussão crítica à chamada CAIXA ITALIANA sendo acusada de ter afastado o público do ato cênico, sem entrar na esfera filosófica, talvez ela tenha nos assustado pela sua grandeza fácil de se confundir com suntuosidade, por vezes sendo propositadamente inserida pelas classes dominantes em diversos períodos econômicos; cabe a nós não apenas, baixar preços, fazer promoções, mas nos fazer apaixonar pelo palco, nos sonhos e devaneios do teatro, da música, da dança, das celebrações, que venham, artistas, humoristas, trapezistas, palhaços, cantores ,bandas, corais, professores, ensaístas, cenógrafos, poetas, homens de posses e suas famílias, homens operários e suas famílias, religiosos, políticos, autoridades, enfim somos movidos pelas paixões, que abram-se as cortinas, façamos o possível para que todos sintam a paixão emanada da CAIXA DE SONHOS! o povo virá! estarei lá! força THIAGO ROZINELLI PARABÉNS PIRACICABA!. Marcos Lemos – maquinista de teatro.

    Curtir

  4. Felipe de Menezes
    8 de fevereiro de 2012

    Pessoal, acho que está havendo um mal entendido: não fui e não sou contra a indicação do Sr. Thiago. Pelo contrário: uma pessoa ligada à Educação será uma grande novidade em cargos de confiança como esse. Nunca tivemos um diretor de teatro nessa cidade com essa formação. Portanto, volto a dizer: bom trabalho ao futuro diretor! Como cidadão e um fazedor de arte na cidade não deixarei de expor minhas opiniões, sobretudo, em espaços como esse blog (onde se pensa cultura o tempo todo). O que discuti com a secretária não foi o nome do diretor e sim o nome do edifício que homenageia um artista que recebe anualmente uma semana inteira (criada por lei) para homenagens. Refiro-me a Lei 4.206/96 que institui a Semana Erotides de Campos. Acho justa e necessária a homenagem. Mas, de novo? Será que só temos, então, esse artista pra ser homenageado? Sou eu o errado? Mesmo? É verdade que um nome é só um nome, Rô. Mas por que esse? Já sabemos: ela é da música erudita logo valoriza os seus. Tá certa ela. Quanto as suas opiniões Fabiana Toledo não tenho nem como comentar. Só lamento.

    Curtir

  5. Flávia Romanelli
    8 de fevereiro de 2012

    Os preços dos espetáculos também precisam ser democráticos para que todos tenham acesso ao teatro! Bjos

    Curtir

  6. Fabiana Toledo
    7 de fevereiro de 2012

    Não conheço o senhor Felipe Menezes, assim como não sei quem é o Tiago que está agora no Teatro que será entregue pela prefeitura, mas ao ler os seus comentários sinto uma pontinha de acidez nas palavras do mesmo. Na teoria, apontar soluções para os problemas é muito fácil. Digo mais, criar problemas é fácil. Pelo teor das palavras, sua intenção é esta. Criar problema onde não existe. Querer fazer barulho onde há silêncio. Difícil é conhecer a realidade de perto!!! Sou totalmente contra um plebiscito, consulta pública ou diabo a quatro. Então tá! Vamos chamar todos os envolvidos, convocar milhares de reunioes que nao levam a nada… gente, desse jeito a máquina trava. O sistema precisa funcionar… nada contra os seus comentários, graças a Deus e por sorte vivemos numa democracia e podemos manifestar nossas opiniões livremente. Mas neste caso quis expressar minha opinião também porque discordo totalmente. Viva a democracia, mas viva o respeito para com os outros.

    Curtir

  7. Rodrigo Alves
    7 de fevereiro de 2012

    Menezes, acho bom esperarmos os resultados dos trabalhos, com moderação. Quanto aos nomes, é só um nome, não precisa de tanto…

    Curtir

  8. Felipe de Menezes
    7 de fevereiro de 2012

    Então, vamos à história. Ela sempre nos dão informações que desconhecemos. Em diversas oportunidades (e não foram poucas) conversei com a Rosângela Camolese sobre o nome desse edifício. Ela sempre me pareceu que já tinha um na cabeça – o que sempre fiz questão de deixar claro que não concordava. Pelo que entendo a decisão deveria ser em nome da coletividade. Sugeri a ela que fizesse uma espécie de consulta pública. Outra sugestão foi que cada categoria artística indicasse um nome. E nada, absolutamente nada foi levado em consideração. Por que não Teatro Municipal Elias dos Bonecos? Por que não Teatro Municipal Lyson Gaster? Dona Camela? Sei lá… Mas, aí ela irá dizer que a Câmara aprovou. Ou seja, os representantes do povo. hahahhahaa amo muito tudo isso! Mas, voltando ao ponto inicial não conheço pessoalmente o Sr Rozineli e pelo que prevejo a Educação é a sua causa. sendo assim já é um dos nossos – preocupados, acima de tudo, com a causa. Boa sorte! Belo post, Rô!

    Curtir

  9. Rodrigo Alves
    7 de fevereiro de 2012

    Como disse no inicio do meu post, o novo Teatro do Engenho é a menina dos olhos da atual gestão da Semac, portanto vários nomes devem ter sido cogitados e, com certeza, opções nao faltaram. Por isso também disse que desejo sorte. Na sua vivência diária na cultura, Thiago mostrou interesse por varias áreas, inclusive estando a frente no pensamento de que a Empem deve se abrir para outros campos além da musica erudita. E assim ele fez, tanto é que a instituição ofereceu até curso de deejay. Nao creio que nome qualquer vá definir ou moldar o perfil de uma casa de espetáculos, afinal, se assim fosse, TEATRO seria apenas para encenação em artes cênicas!

    Curtir

  10. Felipe de Menezes
    7 de fevereiro de 2012

    Bom trabalho ao novo diretor! Esperamos todos que o Teatro do Engenho não vire um anexo da EMPEM ou uma vitrine de música erudita. Que o espaço sirva para o fim que foi construído (desafogar o Municipal) e ser o espaço para os teatros, para as músicas, para as danças, para as artes visuais – apesar do nome Erotides de Campos que carrega contraditoriamente.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Tradutor

Receba notificações de posts por e-mail.

Follow Dando Nota on WordPress.com

Instagram

Lorenzo, 22 meses! #padrinhobabão Job da noite: Rádio Câmara Web Lorenzo fazendo arte, ensinado pelo padrinho! No filter #piracicaba250anos #piracicaba250anos #PiraParade #Piracicaba250anos Festa na roça #piracicaba250anos Jornalista sendo jornalista até no bar!
%d blogueiros gostam disto: